Conheça a história de Mário Valério no comércio de Caarapó

Um pioneiro do comércio que ousou ser político, alcançou o cargo de prefeito da cidade e teve a oportunidade de voltar a atuar no comércio local

| PORTA DA CIDADE


Portal da Cidade conta a história de um homem que é muito conhecido pela sua história política no município de Caarapó mas que ainda quando criança começou a trabalhar no comércio local. O caarapoense Mário Valério que hoje tem 68 anos de idade, é casado com Cecília Duarte Valério com quem tem três filhas, Michelly, Jéssica e Crislaine.

 

Valério começa contando que começou a trabalhar na comercial Tupy: ”com oito anos de idade eu vim para comercial Tupy, quando ainda era em outro endereço mais próximo ao Posto Baena, lá eu fazia de tudo um pouco, abastecia as bancas, era cacheiro, fazia entrega”. Após alguns anos o mercado cresceu e mudou para o atual endereço, continuou trabalhando até a adolescência e deixou o trabalho para ir viver no seminário franciscano, onde permaneceu por pouco mais de um ano.

Se o ditado popular é: “o bom filho a casa torna”, Mário Valério retornou para Caarapó e voltou a trabalhar no então Mercado Tupy onde permaneceu até conseguir casar com sua esposa e mãe de suas filhas.

Mário Valério conta que após o casamento, as coisas ficaram mais complexas afinal agora precisavam manter uma casa, uma família, foi ai que o jovem casal decidiu empreender: “entendemos que era preciso crescer e fomos começar o nosso próprio negócio, arrendamos um boteco que era do Luiz Macarrão e no prédio ao lado, tinha uma máquina de arroz”, lembra ele.

Visando manter seu comércio abastecido, Valério procurou o sr. Antônio que foi quem deu a oportunidade de emprego na Tupy, para fornecer produtos e manter o boteco abastecido, mas existia um trato: “o nosso combinado era assim, paga uma nota que eu te vendo mais. E assim foi”.

Com isso, o que parecia um simples boteco passou a crescer e Mário enxergou a necessidade de ampliar seu atendimento e segmento, foi ai que de boteco virou mercearia. Alguns anos se passaram e um plano econômico do governo, segundo Mário, inviabilizou os lucros da mercearia, cada hora o preço mudava, foi ai que ele decidiu vender e investir em um negócio com sede própria.

Assim surge o comércio de secos e molhados, clientela crescendo, estoque crescendo, ponto seguindo o crescimento e assim tornou-se um minimercado bem abastecido, o Pegue Pague. Pouco tempo depois, Mário e Cecília decidiram reabrir ao lado um bar. A renda aumentava, mas o trabalho também, durante o dia era no minimercado e a noite no bar, muitas vezes até de madrugada.

Em 1999 entrou na vida pública a convite do então prefeito Guaracy Boschilia, foi eleito vereador. Para dar conta de atender o mandato, Valério decide arrendar os dois comércios.

Anos depois abriu uma peixaria na cidade e quem tomou conta por muitos anos foi a esposa Cecília.

Após seguir com a carreira política e deixar a prefeitura no ano de 2018, Mário Valério focou no seu atual ramo de negócio que é o pesqueiro Divino Pai Eterno: “estamos a quase quatro anos aqui e claro que tenho a ajuda da minha esposa, que é o coração do nosso empreendimento”. Perguntado sobre o que atribui ao sucesso do pesqueiro, Mário responde: “amigos”.

Pandemia

Com a pandemia, o movimento do pesqueiro caiu chegando a praticamente zero, teve que fechar por uns dias, quando começou a flexibilizar veio o frio e agora estão voltando: “graças a Deus as coisas estão normalizando, tem alguns que ainda ligam para saber se está muito cheio ou não, por receio da covid-19... O comércio está no sangue, tem os espinhos, altos e baixos, mas a gente continua”.

Questionado sobre o que é mais difícil na hora de empreender, Mário Valério contou que é preciso estar sempre de prontidão, saber esperar, a hora de retornar e principalmente confiar. Se existe arrependimentos? Disse que não: “mesmo quando levamos prejuízo, isso não pode arrepender pois algum dia alguém te faz o bem. Nunca pensei em desistir, gosto de fazer as coisas do meu jeito, da forma que acredito sem deixar de olhar o que está acontecendo”.

Falando no passado

"Tem o lado bom de você ser bom para as pessoas, mas tem aquelas pessoas que não mereceram ser ajudadas, mas tudo bem". Olhando para sua história, Mario Valério diz que é realizado por poder continuar ajudando, sendo ajudado e ser honesto

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE