Em 24h, rede de observadores flagra 370 tipos de aves em MS

Global Big Day reuniu mais de 200 pessoas em grupos de fotógrafos, ornitólogos, guias de turismo e outros

| CAROLINE MALDONADO / CAMPO GRANDE NEWS


Observadores avistam aves durante o Global Big Day. (Foto: Divulgação/FundTur)

O Global Big Day 2024 teve a participação de Mato Grosso do Sul e mais de 200 observadores avistaram 370 espécies de aves em apenas 24 horas. O evento reuniu instituições, coletivos, fotógrafos, ornitólogos, guias de turismo e amantes da natureza, incentivando a catalogação dos avistamentos.

Também participaram desta edição os Estados de São Paulo, Mato Grosso, Santa Catarina, Minas Gerais, Amazonas, Paraná, Rio de Janeiro, Bahia e Espírito Santo. Os avistamentos ocorreram no dia 11 de maio.

MS está entre os TOP 10 hotspots, ou seja, áreas naturais que possuem uma grande diversidade ecológica e que estão em risco de extinção, por isso a preservação é prioridade. Dos hotspots TOP 10 em maior números de espécies registradas, 50% estão em Mato Grosso do Sul, na Fazenda São Francisco, Refúgio da Ilha Ecolodge, Fazenda Barranco Alto, Parque Estadual Várzeas do Ivinhema e Fazenda Alegria.

Neste fim de semana, observadores de aves de MS participam também do maior encontro de observadores de aves da América do Sul, o Avistar Brasil, em São Paulo (SP), ministrando palestras, oficinas, em mesa de diálogos e passsarinhadas. O evento começou na sexta-feira (17) e vai até domingo (19).

O Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo contribuiu com a mobilização e organização de uma rede de observadores de aves distribuídas pelo MS para o Global Big Day, envolvendo instituições e coletivos como Avistar MS, as Cunhataí Guyra Mulheres Observadoras de Aves do MS, COAs (Clubes de Observadores de Aves), Condutores de Aviturismo, além de pousadas e parques.

A equipe forma um grupo de apoio via Whatsapp com distribuição de guia ilustrativo para identificação de aves, suporte de especialistas de identificação, cursos rápidos de utilização de aplicativos como e-Bird e Merlin, tudo ativo nas 24 horas de observação de aves do Big Day.

Presidente do Instituto Mamede e facilitadora do Global Big Day em MS, Maristela Benites conta que a observação de aves tem envolvido cada dia mais adeptos e amantes da natureza em prol da ciência cidadã e, desta forma, contribuído para a conservação ambiental e o turismo sustentável.

“Soma-se a isso, a consolidação de destinos silvestres e os novos roteiros para o turismo de observação de aves apontados pelos diversos participantes do Global Big Day. A observação de aves revela a valorização da biodiversidade e aponta caminhos para a construção de territórios sustentáveis', comenta Maristela.

A Fundtur (Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul) trabalha o birdwatching como um importante segmento de turismo e educação ambiental no Global Big Day, publicando campanhas redes sociais para incentivar observadores de aves, fotógrafos, ornitólogos, guias de turismo e amantes da natureza a catalogar seus avistamentos.

Segundo o diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, o evento mostra como o MS abriga rica biodiversidade e possui importantes hotspots de observação. 'E mais uma vez Mato Grosso do Sul está entre os TOP10 de hotspots brasileiros. Isso mostra a força do segmento e é um grande resultado para nosso Estado', disse.

Dourados - Observadora em Dourados, Suzana Arakaki conta como foi o Global Big Day por lá. “Foi movimentado, sete equipes se mobilizaram para observar e registrar aves em vários hotspots da cidade. O COA Dourados buscou contemplar a zona urbana e também os distritos.

Na zona urbana, o Parque Municipal do Paragem revelou-se como local privilegiado para observação, com registros de várias aves, algumas novidades como o gavião pernilongo pela equipe Tuim. O Paragem é o único local com registros do tuim até o momento.

O hotspot Mata do Azulão, local de observação pela equipe Benedito de testa amarela, foi o local com mais espécies observadas. Localizado na zona urbana, a Mata do Azulão também conhecida como Fazenda Coqueiro, reúne mata atlântica e cerrado, os dois biomas característicos da vegetação no município de Dourados. Também na zona urbana, a Mata da Usina Velha e o Parque Antenor Martins foram os locais escolhidos pelas equipes Saci e Príncipe.

O hotspot Sítio Laranja Doce, localizado no distrito de Vila Vargas, foi local de observação de das equipes Sanã castanha e Acauã, que se alternaram durante o dia, com registros de muitas espécies. No distrito do Guassu a equipe Carrapateiro registrou novidades como o falcão relógio e caneleiro preto entre outras espécies no hotspost Pesqueiro Tio Sayuri.

Se quiser receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp gratuitamente ENTRE AQUI . Lembramos que você precisa salvar nosso número na agenda do seu celular.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS





















PUBLICIDADE
PUBLICIDADE