Foram 18 anos, 16 jogos, com oito empates e oito derrotas, até a Bolívia voltar a comemorar uma vitória em Copa América. E quase a seleção não conseguiu vencer o Equador por 3 a 2, nesta segunda-feira (15). Os bolivianos chegaram a abrir uma vantagem de 3 a 0, construída toda na etapa inicial, antes de sofrer os gols.

O fim deste longo período sem vencer veio graças a gols de "estrangeiros". Marcelo Moreno, que tem nacionalidade brasileira, e Smedberg, sueco que defendeu os europeus nas categorias de base e teve sua primeira chance na Bolívia em 2014. Raldes fez o outro.

Os bolivianos lideram a chave com quatro pontos, um a mais que o Chile, que ainda jogará contra o México nesta segunda rodada. Os equatorianos não têm pontos e estão praticamente eliminados, com chances apenas de seguir como um dos melhores terceiros.

O bom futebol apresentado na estreia contra o Chile colocava o Equador como amplo favorito no duelo desta segunda. Mas, bastou a bola rolar para tudo mudar. A pressão boliviana aconteceu desde o começo e foi assim que Raldes e Smedberg abriram 2 a 0 no placar. A reação pareceu vir na sequência, mas Valencia marcou de pênalti e o juiz mandou voltar. Na segunda cobrança, Quiñonez defendeu.

Depois, houve pênalti cometido por Erazo, atualmente no Grêmio. Na cobrança, Marcelo Moreno fez 3 a 0.

O que parecia decidido mudou com menos de 5 minutos da etapa final. Desta vez, com o gol aberto, Valencia marcou. A pressão foi grande no restante do segundo tempo, mas a bola só entrou aos 37 minutos, em um lindo chute de Bolaños de longe, com a ajuda do vento que estava muito forte à favor dos equatorianos na etapa final. Do mesmo jeito, Noboa carimbou o travessão de Quiñonez, mas a pressão foi em vão.
 

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE