Atual campeã mundial, a seleção brasileira feminina de handebol confirmou o seu favoritismo, conquistou nesta sexta-feira o seu quinto título consecutivo dos Jogos Pan-Americanos e deu mais uma mostra de sua soberania nas Américas ao bater a Argentina por 25 a 20.

A diferença do Brasil para todos os seus adversários neste Pan ficou evidente a cada partida no Canadá e se reflete nos números finais. O time nacional acabou a competição com 55 gols de saldo, com 149 marcados e apenas 94 sofridos em seus cinco jogos no torneio.

Apesar de toda a superioridade do time brasileiro no papel e nas estatísticas, o jogo que valeu a medalha de ouro não foi tão tranquilo como era previsto ou aponta o placar final. "Sabíamos que não seria um jogo fácil. Sabíamos da dificuldade, também por causa da rivalidade. Viemos com o objetivo de ganhar. Sabíamos da nossa responsabilidade. Elas não tinham nada a perder", disse Fernanda depois da vitória brasileira.

Dani Piedade, que virou capitã após o corte de Dara, ressaltou que a vitória era questão de honra. "Muito bom ganhar este ouro. Era uma questão de honra manter esta hegemonia, ainda mais em uma final contra a Argentina", disse Dani.

O jogo também nem lembrou o massacre por 33 a 15 da decisão do Pan de Guadalajara (MEX), em 2011. E isso porque o Brasil só demonstrou seu verdadeiro potencial nos 30 minutos da segunda metade.

O primeiro tempo foi extremamente complicado para a seleção brasileira, que sempre teve de correr atrás no marcador e só foi aos vestiários empatando por 12 a 12 graças a uma boa intervenção da goleira Bárbara no último lance.

Antes disso, o que se viu foi um time nacional errando demais, fosse nos arremessos ou nas transições para contra-ataque. Tanto é que após 10m49 as argentinas lideravam por 7 a 2. Aos poucos o Brasil foi se acertando até equilibrar as ações e conseguir a igualdade.

O Brasil só conseguiu deslanchar mesmo no marcador na segunda etapa, graças à força da defesa. As argentinas só foram marcar o primeiro gol na metade final quando eram decorridos 20 minutos. Neste momento, o Brasil já havia anotado outros 11 e liderava por 23 a 13.

A partir daí foi só uma questão de se iniciar a contagem regressiva para a festa começar. Os minutos finais tiveram direito a grito de olé da torcida brasileira, que foi maioria esmagadora no ginásio.

Das atletas que jogaram em Toronto, Dani Piedade (36 anos) e Alexandra Nascimento (33) se tornaram as maiores campeãs, com quatro ouros. Elas estiveram presentes em Santo Domingo-2003, Rio de Janeiro-2007 e Guadalajara-2011.

Alexandra, aliás, foi a artilheira da decisão ao anotar seis dos 25 gols do time nacional.

O próximo objetivo do time nacional será a defesa do título mundial, em dezembro, na Dinamarca.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE