O Brasil não conseguiu conquistar sua segunda medalha na natação no Mundial de Esportes Aquáticos, nesta quarta-feira (5), em Kazan, na Rússia. Classificado para a final dos 50m peito com o quarto melhor tempo, Felipe França ficou fora do pódio na final dos 50m peito por apenas um centésimo. O ouro ficou com Adam Peaty, do Reino Unido, a prata com Cameron Van Der Burgh e o bronze com Kevin Cordes, dos Estados Unidos.

Na prova, França brigou o tempo todo pela primeira colocação, mas acabou terminando com o tempo de 26s87. A marca foi 0s01 mais alta que Kevin Cordes, que terminou com 26s86. Em quarto, o brasileiro não consegue repetir o resultado do Mundial de 2011, quando venceu os 50m peito.

O resultado, no entanto, não desapontou o brasileiro. "Era uma prova bem cuidadosa. Fiz tudo certo, mas não deu. Foi o meu melhor. Não consegui, mas está ótimo. Isso só faz a gente aprender a melhorar. Então vamos treinar mais", afirmou ao "SporTV" depois da prova.

O não desapontamento de Felipe França é justificado ao comparar seu tempo com os feitos no Mundial anterior, em 2013. Naquela ocasião, o sul-africano Giulio Zorzi conquistou a medalha de bronze com a marca de 27s04, sendo 0s17 mais lento que o feito do brasileiro na atual edição.

Quatro brasileiros se classificam para finais na natação

Antes de Felipe França cair na água, dois brasileiros conseguiram vagas em finais. Nos 50m costas, Etiene Medeiros fez o segundo melhor tempo na classificação geral, com 27s41, ficando atrás da chinesa Fu Yuanhui, que marcou 27s18.

"Eu realmente queria ir para uma final, queria chegar cada vez mais perto do auge, que é 27s baixo. No final de prova eu cansei muito, mas para a final amanhã, dá para melhorar. É descansar para amanhã estar bem", afirmou Etiene ao "SporTV".

Nos 100m livre, Marcelo Chierighini anotou o sexto melhor tempo geral (48s37) e avançou para a decisão. Outro brasileiro na prova, Matheus Santana terminou em nono e foi eliminado.

Assim como na seletiva, Chierighini teve problemas na largada e comemorou que o fato não o prejudicou na semifinal. "O erro que eu fiz de manhã foi grotesco. Não é tão fácil superar um erro desse. Estava um pouco inseguro no bloco, mas consegui fazer uma entrada até que boa comparada a anterior e nadei como eu queria ter nada. Baixei meu tempo, fazia muito tempo que eu não baixava", afirmou ao "SporTV'. "Estou sentindo meu nado muito confortável. Talvez seja a melhor forma da minha vida", completou.

A etapa dos 100m livre ainda teve a desclassificação do russo Vladimir Morozov, que havia batido em primeiro em sua bateria. Ele, no entanto, queimou a largada e acabou sendo eliminado da competição.

Assim como no Mundial de 2013, Joanna Maranhã ficou com o 16º tempo na classificação geral dos 200m borboleta e não conseguiu avançar para a final. Ela terminou com o tempo de 2m09s69.

Últimos brasileiros a caírem na água, Thiago Pereira e Henrique Rodrigues avançaram para a final dos 200m medley. Maior medalhista em Jogos Pan-Americanos, Thiago venceu a bateria com o tempo de 1m57s33, enquanto Henrique foi o quarto, com 1m58s45.

Na classificação geral, Thiago Pereira avançou com o terceiro melhor tempo, enquanto Henrique Rodrigues foi o sétimo. O norte-americano Ryan Lotche anotou a melhor marca da semifinal, com 1m56s81.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE