O filme "Olhu Nu" do diretor Joel Pizzini foi escolhido como finalista na categoria documentário no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. A produção percorre a vida criativa do cantor sul-mato-grossense Ney Mato Grosso, inclusive, com cenas filmadas em Bela Vista, cidade distante a 322 km de Campo Grande.

O longa-metragem concorre com os filmes "A Farra do Circo", de Roberto Berliner e Pedro Bronz, "Brincante", de Walter Carvalho, "Dominguinhos", de Eduardo Nazarian e "Tim Lopes - História de Arcanjo", de Guilherme Azevedo.

Em "Olhu Nu", Joel Pizzini apresenta a carreira de Ney de forma não-linear, buscando a forma criativa de sua obra. O artista que sempre foi conhecido por sua irreverência e talento se tornou uma figura da cena cultural brasileira em plena ditadura militar.

Além de Ney Mato Grosso, o cineasta da produção Joel Pizzini também tem um envolvimento com a terra. Apesar de nascer em terras cariocas, Joel mudou-se com seis meses de idade para Dourados, onde permaneceu até os 15 anos. Apaixonado pelo Estado, o cineasta também já fez um filme inspirado no poeta Manoel de Barros, intitulado Caramujo-Flor.

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro possui 26 categorias e seus finalistas foram escolhidos por membros da Academia Brasileira de Cinema. Além de "Olho Nu", o filme “Getúlio”, de João Jardim, recebeu o maior número de indicações (14 no total), sendo acompanhado por “O Lobo atrás da Porta”, de Fernando Coimbra, com 12 indicações. “Tim Maia”, de Mauro Lima, e “Irmã Dulce”, de Vicente Amorim, concorrem em dez categorias cada. “Praia do Futuro”, de Karim Aïnouz, vem logo em seguida, com sete indicações.

A cerimônia de entrega será no dia 1º de setembro no Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro, no Rio de Janeiro.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE