Um professor de 48 anos foi preso na última segunda-feira (14) suspeito de abusar sexualmente de uma aluna dele, de 9 anos, dentro da sala de aula. Os crimes aconteciam na cidade de Paranaíba, distante 413 quilômetros da Capital, e o professor foi preso em Itajá, no interior de Goiás, em um trabalho conjunto dos dois estados.

De acordo com informações da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Paranaíba, a mãe da criança procurou a polícia para denunciar o caso. Segundo os relatos feitos pela filha, o professor passava a mão nos seios e no órgão sexual da menina e depois pedia para que ela devolvesse as carícias. Tudo acontecia na sala de aula.

A Polícia Civil iniciou as investigações e descobriu que o professor tem parentes do Estado de Goiás, investigações também foram feitas por lá e descobriu-se que o professor já tinha abusado de uma adolescente de 12 anos da mesma forma.

Quando a investigação chegou até a escola, que não teve o nome divulgado para preservar a vítima, e a diretora soube da situação, o professor foi chamado e relatou que se a mãe levasse o caso adiante, contrataria alguém para matá-la.

De fato a ameaça quase se concretizou, a polícia descobriu que o professor contratou um homem de Goiás e pagaria R$ 6 mil a ele para que matasse a mãe da aluna de 9 anos, que levou o caso à polícia.

Diante da situação, a Polícia Civil pediu à Justiça a prisão do professor, no entanto, ele fugiu para o estado vizinho e não foi encontrado. Depois de 3 semanas foragido, a Polícia Civil requisitou novo pedido de prisão, dessa vez preventiva, e o professor foi encontrado no último domingo (13) por policiais de Goiás, em frente da casa de parentes.

O homem novamente fugiu e só foi preso no dia seguinte, na última segunda, dentro do banheiro de uma igreja, depois de trabalho conjunto entre policiais civis de Goiás e Mato Grosso do Sul e agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O professor está preso na delegacia de Paranaíba e responderá pelo crime de estupro de vulnerável.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE