Centenas de criadores de pássaros participaram do Campeonato Nacional de Canto de Curiós e Bicudos na manhã deste domingo (27), na etapa de Campo Grande, que foi realizada no Ginásio Poliesportivo Dom Bosco.

Com participantes de 10 estados, o campo-grandense Eduardo Diniz, 50 anos, venceu a disputa de bicudos, com o pássaro La Plata. Já o campeão da competição de curiós foi o pássaro Máquina Viva, de Rondonopólis (MT).

Criador de pássaros há 20 anos, Diniz disse ao Portal Correio do Estado que esta é a primeira vez que participa da competição organizada pela Confederação Brasileira de Criadores de Pássaros Nativos (Cobrap). Logo na estreia, saiu como vencedor, com La Plata cantando por 7min49seg.

A consagração de La Plata o motivou. “Agora que eu tenho um pássaro bom, com a genética do Pretinho, que é um bicudo muito bom aqui do estado, vou participar das outras etapas (do Campeonato Nacional)”.

Em 2º lugar ficou o pássaro Vigor. Em 3º, Basaldo, ambos do criador Waldir Pereira da Silva, de Goiânia (GO). 

De acordo com o Lúcio Luiz Cazaretti, diretor da fibra bicudo, 167 pássaros foram inscritos para a etapa de Campo Grande do campeonato, tendo participantes dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Brasília, Goiás, Mato Grosso, Tocantins, Paraná e Rio Grande do Sul, além de Mato Grosso do Sul.

Lúcio explicou que a competição de fibra é diferente da de canto. Na fibra, as aves são classificadas de acordo com o tempo em que permanecem cantando, enquanto na competição de canto elas são avaliadas individualmente e as notas são dadas por jurados. A próxima etapa da fibra está prevista para o dia 25 de outubro, em Juiz de Fora (MG).

167 bicudos participaram da competição em Campo Grande (Foto: Paulo Ribas / Correio do Estado)

CAMPEONATO

As aves são colocadas em gaiolas, com distância de 20 centímetros entre elas, formando um círculo. As fases eliminatórias tiveram marcações de 10 minutos. Os pássaros que cantaram por mais tempo durante esses 10 minutos foram classificados para a final, que contou com 60 bicudos.

Na final, foram feitas três baterias, cada uma com 20 pássaros e tempo de 15 minutos. Os 30 melhores classificados pontuam no campeonato nacional, sendo 30 pontos para o primeiro colocado, 29 para o segundo e assim sucessivamente. Os pontos são somados ao ranking nacional e no fim do campeonato, em dezembro, vence o melhor colocado. Os criadores dos vencedores são premiados com troféus e diploma.

Eduardo Diniz (à esquerda), campeão da etapa em Campo Grande (Foto: Glaucea Vaccari / Correio do Estado)

HOBBY

Sem premiação em dinheiro, os criadores afirmam que a competição não é um esporte, mas um hobby. Aloisio Tostes, 71 anos, é criador de pássaros há mais de 60 anos. Ele disse ao Portal Correio do Estado que mesmo sem ganhar dinheiro, o pássaro vencedor ganha valorização da genética e “satisfação do criador”.

Com três pássaros na etapa da Capital, ele explicou que não há um treinamento específico para os pássaros cantarem, mas que o segredo é investir na saúde e bem estar das aves, que devem ser bem alimentadas, higienizadas, além de tomar banho de sol todos os dias e ter um lugar especial para não serem incomodadas.

“Cada um tem um desempenho e tem que ver como vai estar no dia. É igual jogador de futebol, tem dia que está bem e tem dia que não”, disse. Além dos pássaros que participaram do evento, ele também tem um criadouro em Ribeirão Preto (SP).

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE