Confusão envolvendo um instrutor de centro de formação de condutores, uma jovem grávida e um motorista terminou na delegacia na manhã deste sábado (24), em Campo Grande. Após 'esbarrão' entre veículo e moto, suposto policial desceu do carro armado com uma pistola, mas deixou o local antes da chegada da polícia.

Segundo relato de Vinícius Mascarenhas Souza, de 29 anos, ele levava uma aluna ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito), quando foi ameaçado por um motorista armado, que se identificou como policial. O instrutor contou ao Jornal Midiamax que seguia na Avenida Euler de Azevedo, na motocicleta da autoescola, levando na garupa Karolynne, de 18 anos, que está grávida de três meses, a caminho do Detran para que a jovem fizesse a aula de condução, quando foram 'fechados' pelo motorista de um Renault Sandero, branco, placas de Campo Grande (MS).

De acordo com Vinícius, eles passavam pela rotatória da Euler de Azevedo com a Tamandaré, quando o motorista encostou o carro na perna da passageira e, depois, no instrutor. Ele afirma que bateu no vidro do carro, para alertar o motorista que, incomodado, teria começado a seguir o motociclista.

Ainda conforme relato do instrutor de autoescola, quando eles estavam próximos ao acesso do Coophasul, o motorista apontou uma arma, tipo pistola, para Vinícius e Karolynne, e ordenou que eles encostassem a moto. Ainda segundo Vinícius, eles pararam e o motorista desceu do veículo armado e visivelmente embrigado. Ele não disse o nome e nem mostrou distintivo, mas teria se identificado como policial.

Vinícius afirma que o suposto policial estava com forte odor etílico. Eles discutiram e o motorista ainda teria dito que a moto havia batido na traseira do carro. O instrutor resolveu acionar a polícia, via 190, mas quando estava ao telefone com o atendente, o motorista entrou no carro e fugiu.

A aluna contou que ficou nervosa com a situação, pois achou que o motorista iria atirar. “Trabalho como instrutor há seis anos e essa é a primeira vez que acontece isso. Espero que seja a última”, disse Vinícius.

O rapaz ainda contou que há várias testemunhas, pois outros professores e alunos também seguiam para o Detran e presenciaram a confusão. Pessoas dizendo ser testemunhas do ocorrido também entraram em contato com a redação, via WhatsApp, inclusive fornecendo uma imagem do suposto policial: "o outro amigo ia tirar mais fotos, mas ele estava apontando a pistola", disse um dos denunciantes.

As vítimas foram até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, para registrar boletim de ocorrência. Até o fechamento deste texto, não havia informações sobre a identificação do suposto policial.

 Vinícius e Karolynne afirmam que o motorista apontou uma arma para eles (Foto: Luiz Alberto)

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE