"Próximos 15 dias serão os mais terríveis da doença em MS", alerta Resende

Inverno e "desobediência cega" da população devem provocar crescimento mais acentuado dos números da covid em MS, diz secretário

| SILVIA FRIAS / CAMPO GRANDE NEWS


Posto de exames da covid-19 no Aero Rancho, na Capital, cidade foco de preocupação da SES (Foto/Arquivo: Kisie Ainoã)

'Os próximos 15 dias serão, no meu modo de entender, os mais terríveis da doença em Mato Grosso do Sul'. A previsão foi feita esta manhã, pelo secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende, ao divulgar o boletim diário do novo coronavírus (covid-19). A previsão pessimista é diretamente relacionada às baixas temperaturas do inverno.

Hoje, a SES (Secretaria Estadual de Saúde) divulgou a confirmação de 7.527 casos de covid-19 e 72 mortes em MS, destas, 43 somente no mês de junho, morte que será contabilizada no boletim de segunda-feira.

O secretário lembrou que o Estado registrou 11 mortes em maio e o crescimento exponencial de notificações e de óbitos deve fazer com que junho termine com quase 5 vezes mais casos de morte em relação ao período anterior.

“Por isso, espero que vocês possam colaborar', disse, durante a live esta manhã, dirigindo-se “ao cidadão e à cidadã de MS', considerado por ele os grandes responsáveis pelos índices, em decorrência dos flagrantes de aglomeração e desrespeito do isolamento social no Estado.  “Não querem colaborar, é desobediência cega'.

Hoje, o epicentro da doença está na região de Dourados. Somente o município tem 2.454 casos, seguido de Campo Grande, com 1.975 confirmações da doença. “Não é só região de Dourados que preocupa, é nossa dor de cabeça de hoje, mas, mesmo aqui, em Campo Grande, tem preocupado', avaliou, apontado crescimento dos números também na microrregião de Corumbá.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE