Logo depois de vencer o Joinville por 1 a 0 na noite de sábado, em Santa Catarina, Tite deu uma resposta direta a respeito da situação de Ralf. Não houve rodeios.

Embora tenha colocado o volante no banco de reservas, o treinador pediu uma reunião entre dirigentes, Ralf e ele. E antes de o encontro ocorrer, Tite disse que é favorável à renovação do contrato que vai até dezembro. Esse é mais um capítulo em que o técnico e seus superiores se posicionam de formas diferentes.

"Senta atleta, direção e técnico, passa a ideia e define a situação", declarou o treinador depois da partida. Questionado se gostaria que fosse renovado o vínculo de Ralf, confirmou: "sim".

A renovação de contrato de Ralf, nesse momento, é improvável. O jogador completa 31 anos na terça-feira e a dívida do Corinthians com ele e empresários é de R$ 4 milhões. A queda de produção do volante somada à necessidade de reduzir a folha salarial para 2016 fazem a diretoria imaginar que essa seja a última temporada do volante contratado em 2010. Ele é o jogador com mais partidas (322) com a camisa corintiana no atual elenco. Os salários são de R$ 250 mil por mês.

Nos cinco meses desde seu retorno ao Corinthians, Tite acumula alguns episódios em que sua vontade não prevaleceu. O principal deles é Emerson Sheik, cuja renovação de contrato chegou a ser publicamente pedida pelo treinador, mas não foi atendida graças a uma posição mais firme do superintendente de futebol Andrés Sanchez. Até o presidente Roberto de Andrade era favorável a buscar uma extensão.

No fim das contas, Tite defendia ao menos que Emerson participasse de seis jogos do Campeonato Brasileiro como opção no banco de reservas, mas isso ocorreu somente três vezes até ser vetado pela diretoria. Sem jeito, o treinador alegou em entrevista coletiva que a posição de retirar Sheik foi precaução contra lesões.

Situação semelhante também ocorreu com Paolo Guerrero. Tite chegou a conversar com o atacante e pedir que ele se dedicasse nos dois últimos jogos antes de embarcar para a Copa América, contra Fluminense e Palmeiras. Deste último, porém, o peruano acabou de fora em função de cobranças de torcedores organizados. Direção e empresários de Paolo acharam por bem que ele não se despedisse da torcida no clássico. Com Ángel Romero em campo, o Corinthians perdeu por 2 a 0.

Há mais exemplos em que o treinador não foi ouvido. Desde fevereiro, Tite pede à diretoria a contratação de um meia para substituir Nicolás Lodeiro, mas nenhum nome chegou. A única tentativa mais incisiva foi por Bernard, não liberado pelo Shakhtar-UCR. A direção esperava por um empréstimo gratuito.

Por outro lado, Tite é cobrado para utilizar as divisões de base, mas não conseguiu afirmar nenhum garoto. Dos seis campeões da Copa São Paulo em janeiro que foram promovidos, quatro já foram negociados.

Ralf diz que deseja permanecer


"Não sei até que parte é verdade o clube não querer renovar. Sei que estou focado no meu objetivo, tenho contrato até o fim do ano, procuro respeitá-lo. Se eles acharem que não precisam mais contar comigo, vou procurar viver minha vida, até porque tenho família que depende de mim. Estou focado, cabeça tranquila. Eu entrego na mão de Deus, mas meus empresários podem falar por mim. Quero renovar o mais rápido possível para dar tranquilidade e segurança. No início do mês que vem já posso assinar pré-contrato com clube, então quero saber de continuar, quero continuar no Corinthians", declarou o volante Ralf.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE