A Prefeitura Municipal de Vicentina, sob o comando do Prefeito Hélio Toshiiti Sato, realizou na manhã de sexta-feira (07) uma reunião com todos os secretários municipais tendo como pauta a crise que assola o município de Vicentina e todos os municípios brasileiros. Hélio falou da necessidade de reduzir despesas com água, energia elétrica, telefone e combustível, dentre outros itens, para conseguir manter as contas em dia. Levantou ideias sobre o tema, buscando a opinião dos dirigentes públicos na intenção de manter o município e continuar os investimentos em infraestrutura e o término de obras que encontram-se em andamento e contam com recursos próprios, estaduais e federais para o término.

Serão interrompidos alguns serviços públicos, exceto os de urgência e emergência na Saúde. “Serão feitas adequações no orçamento para levantamento de onde pode haver cortes, facilitando o manejo da máquina pública e garantindo que os cofres públicos sofram o mínimo neste momento de crise, buscando atender a população vicentinense de maneira geral, não interrompendo os serviços essenciais e continuar fazendo investimento de infraestrutura, melhorando a qualidade de vida do nosso povo, da nossa gente.” Salientou Hélio.

Um dos problemas relatados durante a reunião diz respeito à folha de pagamento. Hélio sempre tem pago o funcionalismo público antes de virar o mês, pagando sempre cinco dias antes do que determina a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal, mas para manter esse pagamento em dia e diminuir as despesas da prefeitura ficou decidido que haverá corte de pessoal, visto que diante do exposto a prefeitura de Vicentina não tem condições de manter a folha de pagamento no patamar atual.

“Não queríamos fazer cortes na folha de pagamento, mais infelizmente somos obrigados para garantir a governabilidade, e para que possamos cumprir com a Lei de Responsabilidade Fiscal, deixando as contas em dia. Também estaremos diminuindo os gastos com material de expedição e consumo.” Explicou Antônio Ferreira – Secretário de Administração da Prefeitura de Vicentina.

Sato também anunciou que haverá uma paralisação nesta segunda-feira (10), em Campo Grande. Os prefeitos do Estado de Mato Grosso do Sul como forma de demostrar a necessidade de economia e chamar atenção do governo federal para repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), estarão reunidos com apoio da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) em um manifesto na capital, esta paralisação tem como objetivo mostrar à sociedade o arrocho financeiro vivido pelos municípios que não têm recebido o respaldo dos governos federal e estadual, para enfrentar esta crise que se alastra por todo país.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE