Das 79 cidades de Mato Grosso do Sul, 13, o equivalente a 16,45% do total, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), registraram redução populacional em 2015 frente a 2014. A tabela com a população estimada para cada município sul-mato-grossense e também dos outros 5.491 do país foi publicada pela instituição na edição desta sexta-feira (28), do Diário Oficial da União (DOU).

Segundo o IBGE, as 13 cidades do estado em que a população “encolheu” foram: Bodoquena (de 7.938 para 7.898), Brasilândia (de 11.923 para 11.903), Camapuã (de 13.751 para 13.731), Fátima do Sul (de 19.240 para 19.220), Glória de Dourados (de 10.008 para 9.992), Guia Lopes da Laguna (de 10.211 para 10.136), Inocência (de 7.687 para 7.664), Jateí (de 4.044 para 4.038), Nioaque (14.305 para 14.233), Novo Horizonte do Sul (de 4.442 para 4.306), Pedro Gomes (de 7.850 para 7.794), Rio Negro (de 4.949 para 4.910) e Sete Quedas (de 10.854 para 10.832).

Em uma cidade, a estimativa para 2014 é a mesma para 2015, Taquarussu, onde o IBGE projeta que a população do município permaneceu em 3.570 habitantes. Nos outros 65 municípios sul-mato-grossense o instituto aponta que o número de moradores aumentou.

De acordo com o IBGE, a cidade que registrou percentualmente o maior aumento de população neste ano frente o anterior foi Sidrolândia, 3,30%, passando de 49.712 para 51.355 habitantes. Esse incremento fez com que o município passasse da oitava para a sétima posição no ranking populacional de Mato Grosso do Sul, ultrapassando Nova Andradina.

A lista dos oito municípios mais populosos do estado, segundo a estimativa de 2015 do instituto é a seguinte: Campo Grande (853.622), Dourados (212.870), Três Lagoas (113.619), Corumbá (108.656), Ponta Porã (86.717), Naviraí (51.535), Sidrolândia (51.355) e Nova Andradina (50.893).

Se percentualmente o maior crescimento populacional do estado foi contabilizado por Sidrolândia, numericamente, esse título simbólico é da Capital do estado. Em 2014, o instituto estimou que a cidade possuía 843.120 habitantes. Em 2015 ganhou mais 10.502 habitantes.

Em contrapartida, o menor crescimento populacional tanto percentual quanto numérico registrado na comparação dos dois anos em Mato Grosso do Sul foi de Vicentina. A cidade no ano passado tinha, de acordo com a projeção, 6.020 moradores e neste ano ganhou sete habitantes, atingindo os 6.027, o que representou um crescimento de apenas 0,11%.

No estado, o IBGE estima que a população passou dos 2.619.657 habitantes em 2014 para 2.651.235 habitantes este ano, o que indica um incremento de 1,20%.

No Brasil o número de habitantes está estimado em 204,5 milhões, com uma taxa de crescimento de 0,83% de um ano para o outro. São Paulo continua sendo o município mais populoso, com 12 milhões de habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (6,5 milhões), Salvador (2,9 milhões) e Brasília (2,9 milhões). Dezessete municípios brasileiros possuem mais de um milhão de habitantes e juntos representam 22% da população total do país.

No ranking dos estados, os três mais populosos localizam-se na região Sudeste, enquanto os três menos populosos localizam-se na região Norte, sendo o Estado de São Paulo, com 44,4 milhões, e 21,7% da população total do país, o mais populoso, e o Estado de Roraima com 505,7 mil habitantes, ou 0,2% da população total do Brasil, o menor em índice populacional.

As estimativas populacionais são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos nos períodos intercensitários e são, também, um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União na distribuição do Fundo de Participação de Estados e Municípios. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013. A tabela com a população estimada para cada município foi publicada no Diário Oficial da União.

 * Com G1 MS e Midiamax

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE